Hallå Stockholm

Há 2 ou 3 anos eu estava nos Estados Unidos conversando por Skype com meu amigo João Miguel, que há 14 anos mora na Dinamarca, e disse a ele que tinha vontade de fazer um tour pelo norte da Europa e que iria visitá-lo. Fui primeiro ao Japão, Itália, USA de novo, Colombia, Cuba, Argentina, Uruguay e finalmente em junho de 2016 peguei o trem para a visita prometida...mas,...trem?...você mora no Rio...não seria "avião"? 
Sim, moro, só que eu cheguei a Copenhagen no trem que percorre a notável ponte-túnel sobre (e sob) o estreito de Øresund. 
O primeiro destino dessa viagem havia sido a terra de Bergman, de Garbo, Ibrahimovic, Abba e Roxette...Välkommen till Svenska!


Estocolmo

Desembarquei na Suécia na véspera do Midsummer, que é a celebração do solstício de verão e cuja data varia um pouco de acordo com cada país aonde é festejado. Uma das características desse feriado são as danças ao redor do majstången (mastro de maio) e as coroas de flores que as meninas usam, além de todos entoarem canções campestres. A cidade não estava muito cheia porque a maioria das famílias vai para suas casas de campo festejar, mas as que ficam se reúnem nos parques. 
Foi uma imersão imediata em parte da cultura local, já que é uma data tão ou mais importante que o Natal, por exemplo.
O clima estava ameno, eu cheguei a querer ensaiar uns passinhos daquela curiosa dança mas fiquei na minha porque não sou de chegar assim na terra dos outros sem antes observar alguns códigos comportamentais rsrs imaginem a brazuca querendo requebrar ali!


Mas enfim, o que esperar quando se vai para um país nórdico? 
Primeiro e fundamental, o idioma. Mêeeeeeu, que língua difícil. É claro que quis aprender algumas palavras, que pelo menos funcionavam bem se acompanhadas de um sorriso rsrs. 
Hallå é "olá"...Sim, mas você só vai se tocar que soa como "hello" quando sacar que a letra 'a' com esse 'o' encima tem som de...O.
Mitt namn är Débora. Legal. Aprendi que se o 'a' tiver a trema acima soa como 'e'. Mas bonitinho mesmo achei o 'obrigada' deles: tack.
No mais, era como estar escutando japonês, ou grego. Pronuncie 'ursäkta mig' corretamente, quero ver! rsrs
E 'skål' te lembra algo? Lembre do 'o' sobre a letra 'a'.

Em segundo lugar, algo que me surpreendeu: eu esperava me sentir uma ET em meio a louros e platinadas com 1.90m de altura. 
Nada disso, pelo menos na capital o que encontrei foi um povo bem miscigenado nas ruas. A Suécia vem recebendo muita imigração pois é um dos países europeus mais pacatos e com uma ótima qualidade de vida, apesar de caro e com certo déficit habitacional.


Os suecos têm um hábito muito bacana que é o tal do 'Fika', que em geral se refere à pausa para um café, mas na verdade eles aplicam a outras pausas tipo um encontro de amigos para um bate papo no bar da esquina. Tive a oportunidade de participar de um típico Fika familiar numa tarde chuvosa de domingo onde provei uma das melhores tortas de frutas vermelhas com chantilly caseiro da minha vidaaaa, mas o doce do fika por excelência é o Kanelbullar, um roll delicinha de canela. 
O fato é que esse costume de se reunir gera um ambiente alegre e, durante o verão, até mesmo festivo nas praças e foi algo que descobri assim que comecei a desbravar o centro turístico da cidade.

Estocolmo é formada por um arquipélago e Gamla Stan é o nome da área da cidade antiga. O belo conjunto arquitetônico que mezcla torres medievais, barroco, germânico em tons de marrom e bege, deixa o skyline com uma cara de "cidade de chocolate e de conto de fadas". Tem o Palácio Real com a troca de guarda, o Riksdagen (Parlamento), a bela Catedral, o Museu Nobel e, o melhor de tudo, pequenas surpresas que só serão descobertas se vc deixar o mapa de lado e apenas caminhar pelas ruas de estilo medieval.
Acho que a melhor pedida é andar bastante pelo centro 'Gamla' e depois pegar um tour pelos canais para ir parando nos pontos de interesse, que são vários.
Pro lado do porto turístico de cruzeiros dá para ter uma bela visão panorâmica e visitar o 'descolado' Fotografiska Museet, daí subir caminhando para o lado de Södermalm  passando por antigas casas de madeira das primeiras épocas da cidade.



Aliás, nos canais a água é tão limpa que é possível praticar pesca esportiva urbana pra valer, sabiam? 
Isso mesmo,  p e s c a r   s a l m ã o   n o s   c a n a i s    d a   c i d a d e.  E lá estão as placas, com fotos e info sobre os peixões que chegam a encontrar ali.
Se tem uma iguaria nórdica (pois não é exclusividade sueca) que adoro é o Gravlax, salmão marinado por alguns dias em sal, limão e endro (que é um tempero típico utilizado também no Sill de arenque).


Nessa relação com a água, também através dos lagos e mares, talvez um dos fatos mais curiosos na História seja o do Vasa, uma espécie de Titanic medieval. 
O Vasa era um navio de guerra, mas naufragou após velejar por menos de 1 milha náutica (aprox. 1.8 km) em sua viagem inaugural em 1628. Ele ficou no fundo do mar até os anos 60, quando foi retirado praticamente intacto e restaurado, para a nossa sorte estar hoje exposto com toda sua grandiosidade. Incríveeeel!
Vasa Museet é parada obrigatória para quem for a Estocolmo!...e fica próximo ao Museu Nórdico Nordiska, que também vale ser visitado, mas com tempo pois é longo e o Vasa te deixa meio que saciado pela tarde toda.


E já que era verão, façamos um churrasco, não é mesmo? Churrasco. É claro que não foi um tíiiipico almoço local rsrs; o anfitrião casado com uma brasileira, havia suecos, norueguês, ucraniano, chinesa, brazucas. Tomando caipirinha e escutando música cubana. F*ck ghettos, viva a globalização!!
Foi uma tarde muito agradável em Mariefred, uma cidadezinha próxima. 
Daí a tarde parecia que queria se transformar em noite mas...que nada, nessa época do ano mesmo às 3 da madrugada há claridade. Você tem que acostumar o seu corpo a ir dormir para manter o descanso necessário em dia. Deve ser  a compensação de tantas horas sem luz durante o inverno (que não quero nem imaginar como é). 


Era chegada a hora de partir. O trem que seguiria até Malmo para de lá mergulhar no Mar Báltico/Oresund, chegou manso na estação. Eu tinha pela frente 3 horas para paisagens e pensamentos, até chegar ao meu próximo destino. E assim, me despedi.

fotos: Débora Bessa 
foto de entrada: Trip Advisor

No hay comentarios:

Publicar un comentario